quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Dr. Manuel Maia - In Memoriam

 Umas singelas palavras em Memória do Dr. Manuel Maia, com o qual estávamos desde há algum tempo a preparar um Projecto para Castro Verde (e não só).

Um Homem Bom, de Humor Acutilante, com um saber imenso do qual bebíamos por apenas o escutarmos atentamente...

Privei com ele de forma mais próxima nos últimos tempos, onde executamos filmagens por sítios arqueológicos ímpares.

Apenas posso prometer o meu total e abnegado empenho, para que o Projecto siga para diante, em Justa Homenagem ao Labor do meu Amigo, Colega e Homem Bom, Manuel Maia.




A few simple words in Memory of Dr. Manuel Maia, with whom we have been preparing a Project for Castro Verde (and beyond) for some time.

A Good Man, with a Sharp Humor, with an immense knowledge that we drank from just listening to him carefully...

I shared with him more closely in recent times, where we filmed for unique archeological sites.

I can only promise my total and selfless commitment, so that the Project will move forward, in Just Homage to the Labor of my Friend, Colleague and Good Man, Manuel Maia.


terça-feira, 21 de setembro de 2021

TALES FROM THE GRAVE – TWO XVIITH CENTURY TOMBSTONES OF DUTCH MERCHANTS FROM THE UNITED EAST INDIA’S COMPANY (VOC) – A REDISCOVERY IN NAGULAWANCHA (NAGELWANZEE), INDIA

 The discovery of two tombstones (Pl.2-3), during some road construction works occurring at Nagulawancha (Figure 1), by a local Heritage lover Mr. Matta Srinivas (Pl.1), on September 2019, and its mention by my colleague Dr. Sachin K. Tiwary was the flame that sparkle the interest on trying to decipher this almost 400-year-old mystery. Thru the interpretation of the Dutch writings on these two tombstones, we intend to share a glimpse on what was the VOC (United East India’s Company) role in India on the XVIIth century, and how were the daily lives of these two Company men, buried under these tombstones, the last reminders and memories of their passage on this Earth.



Honored having an article published with my Friend and Colleague Sachin Tiwary.

Honrado por ter um artigo publicado com o meu Amigo e Colega Sachin Tiwary.

https://www.academia.edu/53146142/TALES_FROM_THE_GRAVE_TWO_XVIITH_CENTURY_TOMBSTONES_OF_DUTCH_MERCHANTS_FROM_THE_UNITED_EAST_INDIA_S_COMPANY_VOC_A_REDISCOVERY_IN_NAGULAWANCHA_NAGELWANZEE_INDIA


sábado, 4 de setembro de 2021

Povo de Pias - Identidade e Imaginário Popular / People from Pias - Identity and Folktales


 


Prefácio

"Se as localidades vivem em permanente mudança, a sua História tem de ser feita e refeita em permanência, ao jeito da manta de Penélope. Três décadas volvidas sobre a publicação da obra de Luís Borges, quatro autores retomam Pias. São todos de fora, com ligações sentimentais ao Alentejo. O livro é um balanço entre a Antropologia e a Arqueologia. Entre um passado longínquo e memórias recentes e fortes. O Povo de Pias toma a palavra e é pelas suas vidas que a vida da aldeia é retratada. Se uma imagem forte nos fica é a do sentido telúrico de quem ali vive ou viveu.  Não só pelo apego à terra e às suas tradições, mas por um sentido de luta política que se tornou imagem da terra. Os autores disso tiveram plena consciência. No registo das memórias dos pienses, tornadas testemunho escrito, passam relatos dos tempos do fascismo. O livro torna-se aí mais relevante. Não se ouvirá a voz destes protagonistas, se não forem as monografias assim. Ou os projectos académicos de História Oral, de âmbito muito específico.

(...)

Quando, em 1963, os moços das sortes gritavam: «Viva o Fidel de Castro!» e «Viva a Rússia!» mais não faziam que traduzir o desejo de libertação de toda a aldeia. A isso juntavam a convicção quanto àqueles com quem podiam contar, do ponto de vista político. Cerca de uma década volvida, passaram a poder dizê-lo, alto e bom som. É esse vento da liberdade que passa por muitas das páginas do livro. «Povo de Pias» é, por isso, um título mais que acertado."

Santiago Macias (Historiador)

Nota de Abertura

"É com prazer que nos associamos a esta publicação, um roteiro singular pelo património material e imaterial de Pias, do Concelho de Serpa e destas terras e gentes tão ao Sul. Estão aqui as paisagens e os lugares, as pessoas, as emoções e a história. A partilha, as vivências e as amizades, num olhar de quem chega de fora e se aproxima. Este trabalho é mais um contributo para a salvaguarda e valorização do património, mostrando o que temos, o que somos e o que queremos. É assim, também que o desenvolvimento se faz.

Aos autores, o nosso obrigado!

Tomé Pires (Presidente da Câmara Municipal de Serpa)


Preface


"If localities live in permanent change, their History must be permanently made and remade, like the Penelope blanket. Three decades after the publication of Luís Borges' work, four authors return to Pias. They are all outsiders, with sentimental connections to the Alentejo. The book is a balance between Anthropology and Archaeology. Between a distant past and recent and strong memories. The People of Pias take the lead and it is through their lives that the life of the village is portrayed. The strongest image we have is that of the telluric sense of those who live or have lived there. Not only because of their attachment to the land and its traditions, but because of a sense of political struggle that has become an image of the land. The authors were fully aware of this. from the memories of the pienses, turned into written testimony, there are accounts of the times of fascism. The book becomes more relevant there. The voice of these protagonists will not be heard, if not for monographs as this one. Or for academic projects in Oral History, in a very specific scope.


(...)


When, in 1963, young men who used to shout the news throughout the population shouted: "Long live Fidel de Castro!" and "Long live Russia!" they did nothing but to translate the desire for liberation of the whole village. Added to this was the conviction about who they could count on, from a political point of view. About a decade later, they could say it, loud and clear. It's that wind of freedom that runs through many of the pages of the book. «People from Pias» is, therefore, a more than a correct title."


Santiago Macias (Historian)


Opening Note


"It is with pleasure that we join in this publication, a unique tour of the material and intangible heritage of Pias, the Municipality of Serpa and these lands and people so far to the South. Here are the landscapes and places, people, emotions and history. Sharing, experiences and friendships, from the perspective of those who come from outside and reach closer. This work is one more contribution to the safeguarding and valuing of heritage, showing what we have, what we are and what we want. It's as this as well, that development takes place.


To the authors, our esteemed thanks!


Tomé Pires (President of Serpa City Council)

segunda-feira, 26 de julho de 2021

A Música e a Língua Portuguesa como ponte de referência em Moçambique - uma linguagem para o Mundo?

 


Moçambique… palavra que ecoava em minha mente quando aqui aterrei em Janeiro de 2018. À parte de algumas leituras efectuadas em termos da História deste país, do seu passado longínquo e mais recente, tudo era novo para mim. Ao lutar pela implementação de projectos de índole diversa (educação, cultura, saúde, agricultura, património) por algumas ONG’s e Associações do centro e norte do país, paralelamente ao decorrer da minha actividade enquanto arqueólogo sénior, fui-me apercebendo de um elemento unificador de todas estas etnias, a Música!

Link para acessar ao artigo:

https://www.academia.edu/50280927/A_M%C3%BAsica_e_a_L%C3%ADngua_Portuguesa_como_ponte_de_refer%C3%AAncia_em_Mo%C3%A7ambique_uma_linguagem_para_o_Mundo

domingo, 25 de julho de 2021

O Sítio do Monte do Guedelha (Pias, Serpa): contributos para uma caraterização do Bronze Final do Sudoeste


Archaeological excavations carried out at a Southwestern Late Bronze Age settlement located in the Portuguese left bank of the Guadiana River allowed the identification of four contemporary loci. The material culture recovered consists of a large quantity of ceramic in addition to some lithic and bronze artefacts. Based on about two hundred ceramic vessels from which it was possible to reconstruct their shapes, a typological framework was built that could serve as basis fou future studies and comparisons of coeval ceramic collections. In addition to the undecoretated pottery several pattern burnished ceramics were recorded most of the m with the decoration on the external surface of the vases, as is usual in the Portuguese southwest. Of the four loci identified, one of them stands out on a small hill unlike the others located on the plain. Most of the ceramics with pattern-burnished decoration were registered in this locus, which indicates that it will correspond to an area where the habitat of people of high social would be located. These facts indicate that in these settlementes without any defence conditions there would already be a hierarchy in the community.

Artigo disponível no seguinte link:

https://www.academia.edu/50238946/O_S%C3%ADtio_do_Monte_do_Guedelha_Pias_Serpa_contributos_para_uma_carateriza%C3%A7%C3%A3o_do_Bronze_Final_do_Sudoeste 


sexta-feira, 2 de julho de 2021

Guerra e scavi clandestini in Libia: il monumentum funerario inedito di Caius Valerius Romanus reimpiegato in un gasr alla periferia occidentale di Tarhuna

Um Orgulho imenso de poder publicar com colegas de renome, acerca de temáticas sobre as quais versará o meu futuro Doutoramento.

Imensamente e Eternamente Grato ao Professor José d'Encarnação, por todos os contactos estabelecidos.

A ver se de futuro conseguiremos salvar este sítio arqueológico...

Sono immensamente orgoglioso di poter pubblicare con colleghi rinomati, sui temi su cui si concentrerà il mio futuro dottorato.

Immensamente ed Eternamente grato al Professor José d'Encarnação, per tutti i contatti stabiliti.

Per vedere se in futuro potremo salvare questo sito archeologico...

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXXIV / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXXIV

Música do cantor de origem Macua Aly Faque, intitulada: "Kinachukuro".

O músico é Albino e a letra em si é um acto de louvor em homenagem à sua mãe, porque quando ele nasceu, sendo albino, todos diziam que a mãe dele o devia matar ou deixar morrer, mas ela sempre negou todas essas sugestões, que vinham inclusive de familiares mais próximos. Criou esse seu filho, com todo o sacrifício que teve e ele hoje, tornando-se no cantor Aly Faque, agradece sua Mãe, com esta canção em particular.

Esta canção em si tornou-se assim um Hino de Amor e de Defesa dos Direitos dos Albinos a nascer e a viver.

Cantada em Macua.

Gravada a 18 de Junho de 2021, pela Técnica Toriva António, na Ilha de Moçambique.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/417355396006418/

quarta-feira, 30 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXXIII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXXIII



Canção intitulada: "Ilha de Moçambique é uma Ilha bonita".

Um pedido de ajuda para a Associação Beira Mar da Ilha de Moçambique.

Cantada em Macua.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente na Ilha de Moçambique.

Canção que Louva a Ilha de Moçambique.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/183944530356920/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXXII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXXII



Canção intitulada: "Saúde e Felicidade".

Um pedido de ajuda para a Associação Beira Mar da Ilha de Moçambique.

Cantada em Macua.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente na Ilha de Moçambique.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/1537730896557876/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXXI / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXXI

 

Composição original do cantor, nome artístico Bull J:

“Vizinha Fofoqueira”

“Hoje é dia 15, quero chegar ao dia 20 e ainda não vi a minha esposa, por causa da vizinha fofoqueira.”

Cantada em Macua.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente no Istmo da Cabaceira Pequena.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/178949757441859

terça-feira, 29 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXX / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXX

Composição original do cantor, nome artístico Bull J:

“Mamã já tens problema, teu filho é insultado mas ele não responde, porque sua mãe já morreu e ela lhe dizia para não responder a quem o insultasse.”

Cantada em Macua.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente no Istmo da Cabaceira Pequena.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/4086920934727720/


"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXIX / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXIX


Grupo / Associação Beira-Mar do Istmo da Cabaceira Pequena.

Canção intitulada: "Estamos a pedir ajuda".

Cantada em Macua.

Música que afirma que as pessoas desta Associação querem que se faça sempre boas coisas.

Que não permitirão que ninguém faça nenhum mal aos outros.

Filmada a 16 de Maio de 2021 no Istmo da Cabaceira Pequena, pelo Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/778720016151608/

domingo, 27 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXVIII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXVIII

Música intitulada "Não devia negar.", composição original da autoria do cantor Chande Jamal.

Cantada em Português.

Filmada a 11 de Agosto de 2020 em Pemba, Cabo Delgado, pelo Produtor Marco Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/1199141687194444/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXVII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXVII

Avó Patu e Tia Maimuna, filmadas em Pemba (Cabo Delgado) pela Técnica Ana António João Valente a 9 de Agosto de 2020.

Canção intitulada:

"Ni Ton Ni toni Mona Muananeia" / “Todo o Olho tem o seu rival”.

O olhar de um rival, um olhar de ódio.

Cantada em Português e em Macua.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/789557048382950/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXVI / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXVI


Cantor e Músico, Adriano Lipe.

Música de Cisco, cantor Zambeziano. Trata de um rapaz que queria casar com uma moça… mas tinha de dar condições para os pais da moça, para poder assim casar com ela. Tinha de comprar casa e dar uma mota para os pais dela. Só assim ele casaria com a dita moça.

Cantada em Elomwe e Português.

Gravada a 2 de Junho de 2021, pela Técnica Sunisa Marcelino, na Ilha de Moçambique.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/314705097057659/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXV / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXV

Música intitulada "Meninos Tristes".

Cantada em Português e em Macua.

Gravada a 22 de Maio de 2021, pela Técnica Ana António João Valente, em Pemba.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/520293676054160/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXIV / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXIV

E da Belíssima Ilha de Moçambique, chega-nos a maravilhosa voz Cristalina da Sunisa Marcelino (Na viola - Adriano Albano).

Música Original da Banda Cacana – Trata de um problema que afecta muitas raparigas de Moçambique, que é o casamento prematuro. Sugura foi tirada a sua virgindade por um homem

que fez com que ela fosse ao casamento muito cedo… então ela tem tristeza e inveja das outras raparigas que podem ir à escola, ao contrário dela que tem de ficar em casa a tratar do marido e dos assuntos domésticos.

Cantada em Macua.

Gravada a 20 de Maio de 2021, pela Técnica Toriva António, na Ilha de Moçambique.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/493143011914208

sábado, 26 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXIII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXIII

“A Associação Beira Mar, é a Associação do nosso Coração.”

Pedido por parte de elemento da Direcção da Associação / Clube Beira-Mar da Ilha de Moçambique para que haja de novo essa ligação ao Sport Clube Beira-Mar, que se rompeu em 1973.

Necessitam de ajuda para fazer pequenas obras de reparação da Sede do Clube e poder leccionar às crianças da Ilha as Danças Tradicionais e o Desporto.

Relembrando Vasco da Gama e a Ilha de Moçambique.

Cantada em Macua.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente na Ilha de Moçambique.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/945689142639911/

sexta-feira, 25 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXII

Composição original do cantor, nome artístico Bull J, diz que a Mulher Macua gosta de fama, gosta de sobressair, de se destacar das outras.

Cantada em Macua.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente no Istmo da Cabaceira Pequena.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/511569266827648/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XXI / "Mozambican Music Enjoying Itself" XXI

Composição original do cantor, nome artístico Bull J, fala acerca de uma traição de uma mulher. Cantada em Português e em Macua. Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente no Istmo da Cabaceira Pequena.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/867041284231650/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XX / "Mozambican Music Enjoying Itself" XX


Canção acerca de Vasco da Gama.

Música que fala como começou a Ilha de Moçambique com a chegada em 1498 de Vasco da Gama.

Cantada em Macua.

Associação Beira-Mar do Istmo da Cabaceira Pequena.

Gravada a 16 de Maio de 2021 pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/447365746616614/

quinta-feira, 24 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XIX / "Mozambican Music Enjoying Itself" XIX

 

Canção intitulada: "Mais Fortes".

Música original de Clayton David e Tamyres Moiane. 

Temática acerca da reconciliação entre um casal.

Gravada na Ilha de Moçambique, Província de Nampula, a 15 de Maio de 2021, pelo Produtor Marco Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/513639309755895/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XVIII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XVIII

 

Canção intitulada: Mama quihimere yaki

Música que trata dos maus tratos que o pai dá à filha.

Cantada em Macua.

Gravada na Ilha de Moçambique, Província de Nampula, a 15 de Maio de 2021, pelo Produtor Marco Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/530087238121072/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XVII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XVII

Os cantores originais chamavam-se Adju e Swazinegra e a música trata acerca da beleza da Ilha de Moçambique.

Cantada em Macua.

Gravada na Ilha de Moçambique, Província de Nampula, a 14 de Maio de 2021, pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/322650622822143/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XVI / "Mozambican Music Enjoying Itself" XVI

Música sobre a Ilha de Moçambique.

Música em que o cantor(a) apela aos turistas para virem visitar a Ilha de Moçambique. Que tem a Fortaleza e outras atracções.

Cantada em Macua.

Gravada na Ilha de Moçambique, Província de Nampula, a 14 de Maio de 2021, pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/1184955685283728/

quarta-feira, 23 de junho de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XV / "Mozambican Music Enjoying Itself" XV

A cantora original chama-se Dama Ija. É uma canção acerca da violência doméstica. Em que ela pede à mãe para a vir levar de volta para casa.

Cantada em Macua.

Gravada na Ilha de Moçambique, Província de Nampula, a 14 de Maio de 2021, pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/4344989832228660/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XIV / "Mozambican Music Enjoying Itself" XIV

Música que fala acerca das Esposas que vão para casa das mães, discussões, e o Homem que chega a casa depois do trabalho e quer que tudo esteja bem, sem discussões.

Na Aldeia de Quitupo são Makués e na Aldeia de Senga são Makondes – tribos diferentes mas aqui na Música estão juntos, não

existe nenhuma rivalidade entre eles.

(enviando um Abraço Fraterno e Sentido para os habitantes desta localidade, que tanto têm sofrido desde finais de 2017).

Cantada em Makué.

Filmado nas proximidades da Aldeia de Quitunda, Cabo Delgado, a 14 de Dezembro de 2020, pelo Produtor Marco Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/328422922238785/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XIII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XIII

 

"Wa Kwathu"

“Da minha Terra”

Cantor: Fernasz Chissale “O Leão de Angónia”; Guitarra: Sosário Gove; Baixo: Vanilson.

Cantada em Nhungue / Nyungue.

Canção que fala acerca da beleza característica de todas as Mulheres de Moçambique, desde o Centro, ao Sul e ao Norte.

Filmada por telemóvel em modo automático, em Angonia, Província de Tete.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/274834384332986/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XII / "Mozambican Music Enjoying Itself" XII

Música intitulada “Sibo".

Cantada em Changana.

Filmada em Maputo, a 09 de Outubro de 2020, pela Técnica Emilia Nhaguilunguane.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/326731358982888/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" XI / "Mozambican Music Enjoying Itself" XI

“Minha Sogra"

“Amuaramuanaca”

Música cantada nos Ritos de Iniciação Femininos aqui em Pemba, escutada em 2019 pela cantora. Fala acerca das sogras que falam mal das suas noras.

Cantada em Macua.

Filmada em Pemba, Cabo Delgado, a 18 de Setembro de 2020, pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/198953125456023/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" X / "Mozambican Music Enjoying Itself" X

“O meu Lenço me fica bem”

“Lenço Rango Riniwaira”

Música cantada nos Ritos de Iniciação Femininos aqui em Pemba, escutada em 2018 pela cantora. Fala das mulheres que têm inveja como os escorpiões da moça que leva o seu Lenço na cabeça, quando por elas passa, e estas invejam a sua beleza.

Cantada em Mwani, Macua e Português.

Filmada em Pemba, Cabo Delgado, a 18 de Setembro de 2020, pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/135653891906808/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" IX / "Mozambican Music Enjoying Itself" IX



Música intitulada: “Kihiene”.

Música de uma Cantora já falecida de Nampula, chamada Zena Bacar.

Crítica às pessoas fofoqueiras, que vivem vidas fúteis e tristes, apenas para se meterem na vida dos outros.

Cantada em Macua.

Filmada em Pemba, Cabo Delgado, a 15 de Setembro de 2020, pelo Produtor Marco Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/520105556092234/ 

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" VIII / "Mozambican Music Enjoying Itself" VIII

Ivan Sumaila.

Canção intitulada "Balama".

Cantada em Português e Macua.

Música de um cantor conhecido daqui de Pemba, AZ (nome artístico).

Filmada em Pemba, Cabo Delgado, a 15 de Setembro de 2020, pela Técnica Ana António João Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/295719579003149/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" VII / "Mozambican Music Enjoying Itself" VII

 

Tia Maimuna Jamal Chande.

Canção intitulada "Histórias de Moçambique".

Cantada em Português e Macua.

Filmada em Pemba, Cabo Delgado, a 12 de Agosto de 2020, pelo Produtor Marco Valente.

Escutada por Tia Maimuna a um Grupo de Música Tradicional (Cantores: Azarias Imamo Agi e Fapelme), na cidade de Pemba, no Bairro de Natite, escutada de 2006 para 2007.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/935223220600429/

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" VI / "Mozambican Music Enjoying Itself" VI

Música intitulada "Tem Pessoas que Dizem", da autoria do cantor Chande Jamal.

“Têm pessoas que dizem…” que Cabo Delgado está em Guerra, mas apesar de tudo, nós aqui ainda nos divertimos e vivemos.

Filmada a 11 de Agosto de 2020 em Pemba, Cabo Delgado, pelo Produtor Marco Valente.

Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/2929265937346532/ 

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" V / "Mozambican Music Enjoying Itself" V


Avó Patu e Tia Maimuna, filmadas em Pemba (Cabo Delgado) pela Técnica Ana António João Valente a 9 de Agosto de 2020.

Canção que fala acerca do aconselhamento de uma família que o marido abandonou, deixou os filhos e foi embora.

O conselho é para a Mãe, para Levantar, cuidar dos seus filhos e seguir em frente, com a sua Vida e levar as crianças para a Escola, para elas se formarem, erguendo assim Moçambique.

(os vídeos deste Projecto têm estado a ser filmados recorrendo a telemóveis, estamos a concorrer a fundos para adquir câmaras e filmar assim de uma forma mais profissional todos e todas).

A ver como correm as coisas no Futuro próximo...


Link para ter acesso ao respectivo vídeo Ou clicar em cima da imagem para aceder ao vídeo em si:

https://www.facebook.com/MarcoPauloValente/videos/2899993736983305 

quarta-feira, 26 de maio de 2021

"A Música Moçambicana a Gostar dela Própria" IV / "Mozambican Music Enjoying Itself" IV

Porque a Associação Beira-Mar, da Ilha da Cabaceira Pequena, precisa da ajuda de todos nós... e este é o Melhor Património de Moçambique... as suas Gentes.

Muito Grato ao Amigo Tiago "Velhinha" Pereira pela edição e ajuda na disseminação destas mensagens e apelos.



"A música moçambicana a gostar dela própria.

Num esforço conjunto e com grande generosidade do Marco Valente e da Ana Joao Antonio que em Moçambique com os recursos possíveis, têm gravado a música que encontram. 

Aqui as mulheres da  Associação Beira Mar, da Ilha da Cabaceira Pequena,  estão a pedir para que venham Turistas, porque o Grupo  precisa disso, pois apenas vivem da pesca e do turismo e devido à pandemia os turistas já não vêm mais.

Como se percebe estas práticas nunca são estanques e vão se mudando e alterando conforme os tempos e as dinâmicas."

Tiago Velhinha Pereira - Director Artístico do Projecto


Because the Beira-Mar Association, on the island of Cabaceira Pequena, needs the help of all of us ... and this is the Best Heritage of Mozambique ... its People.

Very Grateful to our Friend Tiago "Velhinha" Pereira for editing and helping to disseminate these messages and appeals.


"Mozambican Music Loving Itself.


In a joint effort and with great generosity by Marco Valente and Ana Joao Antonio who in Mozambique with the possible resources, have recorded all the music they find.

Here the women of the Beira Mar Association, on the island of Cabaceira Pequena, are asking for Tourists to come, because the Group needs this, as they only live off fishing and tourism and due to the pandemic, tourists no longer come.

As you can see, these practices are never watertight and are evolving and changing according to time and its dynamics. "

Tiago Velhinha Pereira - Artistic Director of the Project


A Ligação para o Vídeo / The Link for the Video:

https://vimeo.com/555098005?fbclid=IwAR2N23jCOgC58idjHiiGloKSLa31aXB53kHs9Heg5OMBGF6e6z-K8AqTOic

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Petition Online for the "Defense of the National Archaeological Patrimony of Portugal"

 A great honor to have the "Petition for the Defense of the National Archaeological Patrimony" divulged in India, by our esteemed colleagues and friends.

In their own words:

"Marco Valente's Petition Online for the 'Defense of the National Archaeological Patrimony of Portugal' is a real effort to save the heritage not only of our country but of the world.

We are with Marco Valente and his colleagues and co-workers who are fighting for this noble cause."

We Stand Together Fighting the Rightful Causes!

Uma grande honra ter a “Petição para a Defesa do Património Arqueológico Nacional” divulgada na Índia, pelos nossos estimados colegas e amigos.

Em suas próprias palavras:

“A Petição Online de Marco Valente para a 'Defesa do Património Arqueológico Nacional de Portugal' é um verdadeiro esforço para salvar o património não só do nosso país mas do mundo.

Estamos com Marco Valente e seus colegas e colaboradores que lutam por esta nobre causa ”.

Estamos juntos lutando pelas causas justas!


https://www.academia.edu/44905603/Petition_Online_for_the_Defense_of_the_National_Archaeological_Patrimony_of_Portugal_